22 de Dezembro, 2021

Em 2021, setor de telecomunicações teve alta de 4,8% em investimentos

Em 2021, setor de telecomunicações teve alta de 4,8% em investimentos

Embora a pandemia tenha trazido inúmeras incertezas políticas e econômicas ao país, o setor de telecomunicações investiu cerca de R$ 25,5 bilhões nos primeiros nove meses de 2021, resultando em uma alta de 4,8% em comparação com o mesmo período do ano anterior.

O terceiro trimestre foi o período em que as taxas tiveram o maior crescimento em relação a 2020: R$ 8,4 bilhões investidos e alta de 13,5%. Os dados foram levantados pela Conexis Brasil Digital, entidade responsável por reunir as empresas de conectividade e telecomunicações.

Essa crescente ocorreu, principalmente, em virtude da expansão das redes ópticas e na procura por melhorias nas infraestruturas móveis para atender a alta demanda por conexões de qualidade.

No último mês de setembro, o Brasil atingiu 262 milhões de acessos em banda larga fixa e móvel. Destas, 77% são conexões registradas acima da velocidade de 34 Mbps – há 4 anos atrás, esse percentual era de 13%.

Além disso, o índice de acessos móveis também aumentou desde o início da pandemia. Atualmente, o 4G está presente em 5.484 cidades, abrangendo 98,3% da população.

A próxima geração de conectividade móvel, o 5G, também possuí uma alta expectativa. As empresas vencedoras do leilão se propuseram a instalar a tecnologia nas sedes de todos os munícios do país (5.570), bem como nas outras 1.700 localidades, incorporadas por distritos, povoados e comunidades, como parte do acordo de concessão.

Do mesmo modo, o edital prevê a instalação de fibra óptica na Região Amazônica; o aumento da cobertura - com padrão mínimo exigido como sendo o 4G - para 7.430 localidades e em aproximadamente 36 mil quilômetros de rodovias federais; a implantação do Programa Amazônia Integrada e Sustentável (PAIS); e o desenvolvimento da rede privativa de comunicação da Administração Pública Federal. Ou seja, mais investimentos no setor estão previstos para os próximos anos.

A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) relatou que o prazo para a disponibilidade do 5G é até julho de 2022 para todas as capitais brasileiras.

Para as demais localidades do país, as definições ficaram como sendo: cidades para mais de 500 mil habitantes, o limite é julho de 2025; para aquelas com população maior de 200 mil, a nova tecnologia chega até 2026; em 2027, a quinta geração chega para as cidades com mais de 100 mil pessoas; e até 2029, o 5G chega para todos os locais do país.

A previsão do Governo Federal é que a chegada da quinta geração irá gerar R$ 169 bilhões em investimentos totais nas próximas duas décadas, o que resultará em R$ 6,5 trilhões no aumento do Produto Interno Bruto Brasileiro (PIB).

Ademais, no próximo ano, outras tecnologias também deverão movimentar o mercado de telecomunicações. O edge cumputing é um belo exemplo de tendência para 2022.

Outro ponto a ser destacado é a inteligência artificial (IA). Atualmente, diversas empresas necessitam desta tecnologia como estratégia base de inovação, modelos de gestão e criatividade. Conforme divulgou a Gartner, o mercado mundial de softares de IA deve transacionar US$ 62,5 bilhões no próximo ano, um aumento considerável em relação a 2021 (21,3%).

Em relação à segurança da informação, os cuidados devem ser cada vez maiores, uma vez que os ataques cibernéticos tendem a crescer. A Fortinet, empresa responsável por desenvolver soluções de cibersegurança, relata que o Brasil sofreu em torno de 3,2 bilhões de tentativas de ataques digitais apenas nos primeiros três meses do ano.

Desse modo, o país é o lider no ranking da América Latina, que totalizou 7 bilhões de tentativas durante o trimestre.

Com maior acesso, mais velocidade e banda, naturalmente, o esperado é que tanto provedores como prestadores de serviço nesta área aumentem seus investimentos para atender a demanda,

Fonte: Infra News Telecom