13 de Janeiro, 2022

Gestora de private equity TPG levanta US$ 1 bilhão em IPO

Gestora de private equity TPG levanta US$ 1 bilhão em IPO

A operação é a primeira grande oferta pública inicial de ações dos Estados Unidos em 2022.

A gestora americana de private equity TPG anunciou a precificação de sua oferta pública inicial de ações (Initial Public Offering, em inglês, ou IPO) ao preço de US$ 29,50 por papel, totalizando 33,9 milhões de ações ordinárias Classe A.

Com a operação, a TPG recebeu o aporte de US$ 1 bilhão, chegando à Nasdaq com valuation equivalente a US$ 9 bilhões.

Além de ser o primeiro grande IPO deste ano nos Estados Unidos, o preço da ação saiu na faixa indicativa, que era entre US$ 28 a US$ 31, demonstrando que o ano começa com o apetite dos investidores em alta.

Há bastante recurso global à procura de bons negócios e 2022 deve ser forte em fusões, aquisições e aberturas de capital, em múltiplos setores.

Os papéis começaram a ser negociados hoje (13) na Nasdaq (Bolsa de valores americana, sediada em Nova Iorque), denominada como “TPG”.

Segundo a empresa, 28.310.194 ações da oferta são primárias e serão direcionadas para o caixa da empresa, enquanto 5.589.806 são secundárias, tendo propriedade de acionista vendedor, cuja detentora é a China Life Trustees.

Além disso, o prazo de compra dos subscritores de um adicional de 3,39 milhões de ações ordinárias será de 30 dias, destas, 1.775.410 de ações primárias e 1.614.590 ações da China Life.

A companhia relatou que seu intuito é usar cerca de 40% dos recurso líquidos para adquirir participações societárias na unidade operacional da TPG de outros investidores estratégicos.

Enquanto isso, os recursos restantes são usados tanto para quitar despesas, como também para fins corporativos gerais. O comunicado da empresa expôs que esses recursos “podem incluir facilitar a crescimento dos negócios existentes da TPG e/ou expansão para novas linhas complementares de negócios ou mercados”.

Aa TPG explica iniciou suas atividades em 1992, em São Francisco, e é uma líder global de gestão de ativos alternativos, tendo US$ 109 bilhões em ativos sob gestão, além de equipes por 12 escritório em diversos países.

No Brasil, como já anunciamos, está em curso mapeamento de startups de tecnologia que podem ser futuros gigantes de capital aberto e, tanto na área de provedores como de startups devemos ter um ano agitado em fusões e aquisições e aberturas de capital, áreas de especialidade da Prosper Capital e com a qual empresas deste segmento podem contar para acelerar seu crescimento.

Saiba mais acessando https://www.prospercapital.com.br/site/otimizacao-tributaria-isps.php 

Imagem: Freepik

Fonte: Valor Econômico e Assessoria Prosper Capital