25 de Janeiro, 2022

Vero conclui a aquisição da provedora Giganet

Vero conclui a aquisição da provedora Giganet
A operadora de acesso à internet Vero anunciou a finalização da aquisição da provedora Giganet, que atua em seis munícipios do Vale do Aço, Minas Gerais. Além disso, a empresa adquirida atende cerca de 46 mil clientes por meio de fibra óptica.

A Vero também comunicou que a operação possibilitará que a empresa alcance até 300 mil acessos. Igualmente, a transação envolve um backbone de 120 km, bem como 2,2 mil km de redes FTTH, abrangendo 150 mil residências entre Ipatinga e outras cidades da região.

Vale ressaltar que essa é a 16ª aquisição executada pela Vero desde a união das companhias que resultou na operadora, em meados de 2019. Segundo o CEO da empresa, Fabiano Ferreira, a Vero irá continuar os processos de M&A de forma acelerada após o grande ano de 2021.

Somando todas as operadoras adquiridas, a Vero fornece 610 mil acessos de banda larga entre 180 cidades de Minas Gerais e da Região Sul. Destes, cerca de 250 mil foram adicionados durante 2021, sendo 180 mil via aquisições. Ainda, o ano passado foi o número recorde de clientes incorporados a sua empresa em comparação a 2019 (130 mil clientes) e 2020 (125 mil clientes).

Métodos da Vero

Ferreira explicou que a expansão da empresa está alinhada junto a um market share médio de 35% nos munícipios onde a Vero opera, por grau de satisfação – que é medido pelo NPS – acima da média e por velocidade constante de download de 215 Mbps disponível aos usuários.

Essa é a grande aposta da empresa, que busca manter os indicadores com a estratégia de diferenciação e manutenção de tíquete médio alto. O CEO também aduziu que a Vero não entrou na “guerra de preços” iniciada pelos concorrentes, pois, preferiu manter uma outra abordagem para oferecer seus pacotes aos clientes, ofertando junto serviços como HBO, Telecine e o Globoplay, por exemplo.

Não obstante, Ferreira vê os pacotes de 1 Gbps como uma forte tendência para 2022.

Ademais, o CEO vê a inflação de 10% como um imbróglio para a competição entre os provedores em relação aos preços dos planos, uma vez que isso resulta em diversos impactos nos resultados das empresas. "Muitos pagaram para ver, mas houve um ponto de ruptura e desde a Black Friday, não se viu loucuras. O caixa começou a ser apertado e vários [concorrentes] pararam por ali”, finalizou Ferreira.

Fonte: Assessoria Prosper Capital com informações de Teletime.

Imagem: Freepik